HQ de Mauricio de Souza, sete pecados e HORÁCIO


Indiscutível exemplo de HQ bem sucedida do Brasil, a HQ infantil da Turma da Mônica é comercial, industrial, produção em linha de montagem. Mônica e sua turma são empregados em merchandising de molho de tomate, sabonete, shampoos, lancheiras, chocolates e inúmeros outros produtos.

Tais personagens são tipos estereotipados, e há incríveis semelhanças destes com os Pecados Capitais, os vícios com os quais os demônios tentam os homens.

A Demonologia (estudo cristão medieval que analisa os tipos de demônios existentes, catalogando-os em tipos) permite a analogia dos personagens de Maurício de Souza com os pecados e os diabos da Igreja Católica, os adversários de Cristo.

Desta forma, temos:

MÔNICA = sempre zangada, resolve os problemas à base de violência física, é o pecado da Ira e o demônio correspondente é Satã;

MAGALI = come sem medida,é o pecado da Gula e seu demônio é Belzebud;

CEBOLINHA = tem ciúme da posição de líder da Mônica e sempre tenta atraiçoá-la, é o pecado da Inveja e seu demônio é Leviatan;

CHICO BENTO = sempre dormindo, não quer trabalhar , é o pecado da Preguiça e o demônio é Belfregor;

FRANJINHA = pedante e vaidoso, orgulhoso e arrogante de suas invenções, acha-se melhor que os outros, é o pecado da Soberba e seu demônio é Lúcifer;

SOUZA = namorador, persegue as moças e faz tudo para vê-las nuas, é o pecado da Luxúria e seu demônio é Asmodeu;

CASCÃO = sujo, nunca toma banho, é o demônio Gressil, espírito-imundo que tenta com a sujeira e o desleixo.

É impossível afirmar que tais semelhanças sejam mera coincidência ou que sejam planejadas. De qualquer forma, instinto ou pesquisa, o fato é que existe a relação e é evidente e óbvia demais para ser ignorada.

Os efeitos nos leitores infantis pode ser objeto de futuras pesquisas.

Embora todos critiquem a qualidade da obra de Maurício, e seus poucos escrúpulos em comercializar a imagem dos personagens em produtos, prostituindo-os e manipulando o afeto das crianças - que são subliminarmente sugestionadas a comprar os produtos -, o fato é que Maurício é um artista da HQ nacional.

Pode-se questionar como, já que ele sequer desenha as histórias, que são entregues a uma equipe de operários anônimos.

Pois um pesquisador provou que a obra de Maurício é HQ de arte, de autor, um trabalho pessoal de excepcional qualidade artística.

Foi o professor Robson Bastos da Silva, na Dissertação de Mestrado "Uma leitura Filosófico-Existencialista do personagem Horácio de Maurício de Souza", do Instituto Metodista de Ensino Superior, apresentada em 1990.


Robson percebeu que Horácio, o tiranossauro vegetariano, não é dirigido ao público infantil, mas que ele é um dinossauro que vive em permanente crise de identidade, crise existencial, questionando e filosofando.

Nos balões, há frases da filosofia Existencialista de Jean-Paul Sartre, monólogos ecológicos que explicam seu sucesso no Japão.


O leitor adulto pode ser estimulado à auto-avaliação e entender seu papel no mundo.

Horácio seria a negação de toda a obra alienante de Maurício, com o autor nele se redimindo pela obra comercial.

Maurício pessoalmente cria os argumentos, diálogos, roteiros e desenha as HQ's de Horácio, e não admite entregá-lo à equipe impessoal, chegando a afirmar:"Horácio sou eu".

Tal carinho indica seu apego emocional, sua visão crítica da humanidade, sua angústia e solidão, náusea existencial de artista sensível agredido por pessoas invejosas de seu sucesso.

Observe-se o desenho do personagem, a cabeça redonda enorme, os braços curtos e as pernas dobradas, muito parecido com um feto. Horácio está sempre em posição fetal, e suas proporções são as mesmas de um embrião em gestação.

Ele habita uma caverna que mais parece um útero, vive em um mundo pré-histórico, primitivo, enorme, lembra o ponto de vista de uma criança pequena.

Talvez Horácio represente o desejo de Maurício de voltar à infância e feliz em Mogi das Cruzes, interior de São Paulo. Talvez neste personagem o artista sublime uma Síndrome de Peter Pan, regressividade.

Graças ao genial Horácio pode ser corrigida a injustiça de considerar Maurício de Souza um mero mercenário da HQ comercial.

Robson Bastos da Silva ajuda a redimir Maurício, colocando-o na galeria dos artistas da HQ brasileira ao lado de Henfil, Nico Rosso, Sérgio Macedo, Watson Portela e outros.

BIBLIOGRAFIA

TISSERON, Serge. TinTin no psicanalista. Portugal, Bertrand, 1987.

SILVA, Robson Bastos da. Uma leitura filosófico-existencialista do personagem Horácio de Maurício de Souza. Dissertaçào de Mestrado, Instituto Metodista de Ensino Superior, 1990.

Comentários

  1. Dorina Norwill, Pelézinho, Ronaldinho, O escândalo de 2010 - o episódio em que faltando 8 anos para que a obra de Monteiro Lobato caísse em domínio público, o Governo Lula, inventa que a obra de Lobato era racista e a Globo que tinha comprado os direitos, perde milhões de reais em contratos de venda a bibliotecas públicas e o Governo passou a comprar livros de Ziraldo e dele.
    Maurício de Souza tem uma fama de mercenário, que se não foi por culpa dele, ele também não se esforçou para mudar.
    A Ultima de Mauricio é publicar obras de espiritismo para crianças com os personagens da Turma da Mônica.
    Em breve vamos ter a Torah e livros sobre o camdomblé e a religião Islâmica, quem viver verá...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

DOUTOR ESTRANHO na coleção de historias em quadrinhos de Flávio Calazans