filme de TERROR

TERROR NO CINEMA:
OS MONSTROS DA TECNOLOGIA SUBLIMINAR

No Século XXI os filmes de terror estão lançando a moda de
subliminares para assustar mais


Percebo cada vez mais que há diversos filmes atuais com subliminares, a tecnologia subliminar no cinema está retornando com força total .

Você reparou que depois do 11 de setembro o terror é tamanho que as populações estão recorrendo a uma fuga do estresse da realidade de terroristas e guerras hegemônicas USA/ENGLAND versus os países produtores de petróleo (amanhã poderão vir LIBERTAR as águas brasileiras e a biodiversidade de nossas florestas), tal fuga ocorre em filmes de terror fantástico, monstros retornam e unem-se (Jason X Fred) e um gênero cinematográfico voltou com força total: o terror !

Este fenômeno é global!

Sempre pulsões Eros-Tanatos, vida e morte, medo e sexo, nudez e erotismo mesclado a monstros deformados e mortes sádicas para um público voyer sádico como os freqüentadores do Circo Romano assistindo leões destroçarem os mártires cristãos vivos e como as enormes platéias das fogueiras da Inquisição Espanhola... Execuções públicas nunca foram novidades nem chocantes para as massas reprimidas engolindo a revolta... Vide o incrível livro do Nazário abaixo.

Na Ásia surgem séries de filmes como o mega-hit de bilheterias RING e suas seqüências (da fita de vídeo que quem assiste morre após um telefonema, tecnologias a serviço de fantasmas femininos vingativos, sexualidade reprimida em subtexto). ICHI THE KILLER sobre jovens gangues de furyo-otakus e a yakuza, e as intermináveis séries de filmes com os vampiros folclóricos sino-okinawa-nipônicos, os “kiang-shi” .

Na América Latina além do CULT Zé do Caixão (que usa recursos espontâneos bem naif, muito longe das tecnologias subliminares) há o cineasta chileno Jorge Olguin cujo SANGRE ETERNA explora o submundo chileno dark e com clima de Londres dos jovens jogadores do RPG (Role Play Game) VAMPYRE em seus casarões de clubes noturnos góticos e vielas opressivas da arquitetura de Santiago Del Chile (que é quadradona como uma Berlin Nazista e triste como Londres) mesclando medo e erotismo.

Na Europa o cinema Francês abusa do terror e erotismo sádico editado em computadores em ritmo subliminar, IRREVERSIBLE é o melhor exemplo : narrativa invertida como AMNÉSIA e câmera alucinada (seria EVIL DEAD de Raimi, mas hoje em dia recorda mais BRUXA DE BLAIR) inicia com um rosto sendo esmagado explicitamente pelo extintor de incêndio com testemunhas impassíveis numa boate gay, para chegar ao inquietante e angustiante longo estupro anal (atentado violento ao pudor) da sex simbol Monica Bellucci chegando ao requinte de um subliminar pênis sangrento gerado em computação gráfica em um frame imperceptível.. para terminar deprimente e melancólico como memórias saudosas de um tempo que foi e nunca mais será. (desde o cartaz abusa de subliminares, IRREVERSIVEL tem no cartaz técnica de com dissonância cognitiva de Leon Festinger MUITO bem aplicada)...outros terrores franceses com computação e subliminares podem ser citados, como o PACTO DOS LOBOS, MALEFIQUE e muitos outros.

Nos USA, além de centenas de filmes, Brian Yuzna (que em REANIMATOR mostrou uma cabeça decepada zumbi fazendo sexo oral na atriz loirinha) hoje em BEYOND REANIMATOR mostra um rato lutador de kung fu enfrentando um pênis decepado zumbi em um combate de computação gráfica berrante, chocantes imagens que marcam o inconsciente, inesquecíveis!

Mas isto não é um fenômeno de mídia recente, filmes do gênero Terror usam subliminares há décadas, como O EXORCISTA.

Key no livro Media Sexploitation, de 1977 descreveu diversos subliminares sonoros, inclusive explica a decupagem dos efeitos sincronizados na mixagem ou edição do filme O exorcista. Segundo o autor, o reforço que o som causa na imagem é a causa do sucesso deste filme de terror, pois foi realizado com sofisticada engenharia de som subliminar, conquistando Oscar de melhor trilha sonora pela inovação. Friedkin, o responsável, explica que aplicou diversos tipos de subliminar no fundo sonoro, por exemplo:

1. Som do enxame de abelhas furiosas, zunindo em dezesseis freqüências diferentes mixadas - o consciente as ouve como um único som. Seres humanos reagem com medo e ansiedade ao som das abelhas, mesmo se nunca ouviram tal som, desperta o desejo de fugir, esconder-se, e o medo de sofrer dores. Friedkin explica que, segundo Jung, tal som seria um arquétipo. Este som foi plantado na edição em ondas crescentes antes das cenas de maior tensão e suspense.

2. Som dos gritos de porcos sendo degolados. A menina Reagan ao ser possuída pelo demônio vai sendo maquiada gradualmente a cada cena para parecer-se com um porco, enquanto 'ouve-se' subliminarmente estes guinchos angustiantes. Gemidos de casais no momento do orgasmo: nas cenas de exorcismo, com a moça e o padre a sós, foi inserido fundo subliminar reproduzindo clímax orgásmico. Key em entrevista realizada, afirma que 50% das mulheres abordadas confirmaram sua excitação sexual com a cena em apreço.

3. Som no silêncio. As pausas silenciosas do filme eram silêncio eletrônico, com fundo de baixa freqüência inaudível zumbindo. Estes silêncios formam uma série de platôs que gradualmente aumentam em volume e diminuem de intervalo de tempo de aparição antes dos momentos de clímax. Os silêncios são empregados para produzir tensão emocional, tornando-se mais e mais freqüentes e pesados num fluxo de tensão-clímax-relaxamento-tensão.

4. Dublagem. A voz de Reagan vai sendo cuidadosamente sintetizada e mixada até ser totalmente dublada pela voz de Mercedes McCambridge, atriz com uma voz profunda e sensual. Key demonstra diversas técnicas empregadas pela engenharia de som subliminar.

Ora, sons de abelhas prestam-se a anúncios de seguros de vida, planos de saúde e tudo o que envolva o cérebro réptil, as motivações de Maslow relativas a segurança. Já a cena dos porcos guinchando e a maquiagem da atriz é uma demonstração da intersemiose subliminar som-imagem. Na cena sadomasoquista do exorcismo os gemidos de orgasmos mostram o poder dos estímulos sexuais subliminares. (KEY apud CALAZANS, Propaganda Subliminar Multimídia, Sexta edição, Summus, 1992, p. 51-52).

Até mesmo os silêncios apresentam pulsos subliminares inaudíveis para tornar apreensivos os telespectadores. Na montagem cinematográfica as imagens são editadas de modo a intensificar a tensão junto com o áudio utilizando o ostinato, gerando um ritmo angustiante de suspense, que altera os batimentos cardíacos, a pressão arterial, a respiração e a taxa de adrenalina e epifremina do público. Isto é o que hoje é chamado "engenharia de emoções".

O exorcista, cabe lembrar, é um filme realizado em 1976. Hoje tais tecnologias sofisticaram-se, bem como suas aplicações.

Um é o fime "UNDERWORLD" (sobre lutas entre clans de vampiros com de lobisomens todo em efeitos especiais, estreou 19 de setembro 2003) usa a MESMA técnica do seriado "ANGEL o vampiro detetive" - seqüências de frames subliminares com cenas flash forward - do que vai acontecer nas próximas seqüências- antecipando subliminarmente a violência explícita e prendendo a atenção.

Após o carro cair no mar, subliminares flash forward, cenas de visões futuras a surgir e tambéms flashbacks de memória medieval de outro personagem... Meio teaser... Aos 34 minutos mais ou menos..

37 minutos após pular da janela mais subliminares, e repetem-se aos 49 min. Após despertar, entram os subliminares de novo, assista no DVD e confira.

O outro filme é "DARKNESS" , que mostra crianças fantasmas em uma casa mal assombrada construída com arquitetura de templo mística. Diretor James Balaguero, inserções das crianças pela casa em diversas cenas criando o clima tenso tipo “OS OUTROS”.

Nigthstalker; subliminares desde a vinheta de abertura, entre flashes ofuscantes (como DRÁCULA DE COPOLLA usou com Gary Oldman) demônios no carro, no retrovisor e no túnel, uma cena de estupro sádico com subliminares e até demônios aos 18 minutos; outro aos 22 minutos, cenas sado-masoquistas contra mulheres aos 35 minutos. Vozes sobrepostas subliminarmente em diversos momentos.

35 min 40 sm: chicotes impedem de focar como gestalt figura as cenas subliminares, e aos 47 min: Imagens duplas com vozes; 49 min: na cama possuído, sendo o toque maior um frame chave subliminar ao fechar a porta da ambulância ! Confira ao final !

Legion of dead no título inserções sub, vinheta de abertura, todos de 1 frame e repletos de símbolos esotéricos subliminares.

The Order devorador de pecados subliminares na cena do moribundo com imagens dos pecados do falecido, toda uma vida de pecados em um ritmo de videoclipe assustador em segundos

Esta lista abrange apenas este ano de 2003, vamos observar e confirmar o que está por vir em 2004!

O medo da realidade torna estes monstros risíveis, e terminam ao desligar o DVD, você pode fingir ter controle sobre este medo, já que não tem sobre as surpresas da realidade ao seu redor... Com culpas atávicas pelo colonialismo, pela exploração do terceiro mundo, pelas guerras de conquista econômica, os países ricos expurgam sua culpa e catarse neste gênero do Terror, e agora com tecnologia subliminar, por parte catarse, por outra parte para sentir alguma coisa na apatia e desinteresse cotidiana das cidades grandes desumanizadas do Século XXI.

BIBLIOGRAFIA:
“O Mercado do Cinema e a Tecnologia Subliminar no STAR SYSTEM : Estudo de Caso “Gary Oldman em DRÁCULA” por Renato-Márcio Martins de Campos. E & Flávio Mário de Alcântara Calazans in : http://renatodecampos.com.br/arquivos/paper.htm

XXVI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – INTERCOM´2003 Belo Horizonte resumo publicado na página 68 dos anais, apresentado pelo co-autor Renato Márcio Martins de Campos http://renatodecampos.com.br/arquivos/paper.htm

INTERCOM
... Renato-Márcio Martins de Campos e Dr. Flávio Mário de Alcântara Calazans – UNESP O ... System: estudo de caso ‘Gary Oldman’ em Drácula. www.intercom.org.br/pesquisa/classificados.shtml

CINE MONSTRO, número 2, Jundiaí, outubro de 2003.
No livro "Da Natureza dos Monstros", Luiz Nazário propõe uma nova filosofia. Não se trata de um livro de crítica, mas de uma verdadeira teoria da monstruosidade. Tomando como referência secreta "O Ser e o Nada", de Jean Paul Sartre, Nazário recupera uma dimensão do ente esquecida pelos filósofos: a dos monstros reais e imaginários. Com uma seriedade irônica, Luiz Nazário investiga, por intuições originais, sob o estímulo da literatura fantástica e do cinema de horror, a essência do "ser-monstro". Proliferando em silêncio, a montruosidade já domina a cena atual: o robô Sojourner e a ovelha Dolly materializam a ficção científica. O Leitor curioso encontrará neste livro, uma interpretação original dos fenômenos que assombram nossa época. Luiz Nazário prova que é possível ser profundo com simplicidade e que a filosofia não é um bicho-de-sete-cabeças. http://www.2001video.com.br/detalhes_produto_extra_livros.asp?produto=866











Filme de TERROR http://www.ligazine.com.br/colunas/cl_calazanismo/calazans_19.htm

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DOUTOR ESTRANHO na coleção de historias em quadrinhos de Flávio Calazans

"Pátria Armada: Visões de Guerra" tem lançamento com quadrinho de Flavio Calazans