Bonecas de Luxo para barbados

BARBADOS BRINCANDO COM BONECAS?

Todo mundo conhece os brinquedos com forma humana inspirados em personagens de Histórias em Quadrinhos, Vídeo Games, Desenhos Animados de Televisão, atores de Cinema e até esportistas e cantores, chega até mesmo a haver bonecas de modelos e manequins que servem de exemplo e inspiração para os padrões e modismos de beleza do momento, gerando insegurança, frustração e traumas nas meninas que não se enquadrem na regra deste verão.

Algumas lojas e websites de aficcionados e colecionadores chegam a oferecer caríssimos exemplares de luxo numerados destes bonecos e bonecas.

Depois dos soldadinhos de chumbo com os quais seu ta-ta-taravô brincou, e as bonecas de porcelana da esposa dele, o MARKETING descobriu que, mudando “brinquedo” por um novo nome poderia ampliar o segmento/compradores fazendo uma desculpa para marmanjos comprarem...

Assim sendo, em 1964 nos USA surge a “ACTION FIGURE”, (figura de ação, nome de marketing para bonequinho articulado) e a fábrica de brinquedos HASBRO lança o G.I. JOE, um soldadinho articulado, que o marmanjo pode colocar em posições diversas; aqui no Brasil foi lançado com o nome FALCON ou COMANDOS EM AÇÃO, mas o colecionismo mesmo começa a se alastrar como uma febre no Brasil só em 1977 com as figuras do filme GUERRA NAS ESTRELAS.

Tudo isto ocorre em paralelo às SUSIES e BARBIES, bonecas para meninas cujo sucesso continua sempre, este mercado novo atinge predominantemente os meninos, o sexo masculino.

Em 1994 a empresa MCFARLANE TOYS, criada pelo empresário e ex-desenhista de quadrinhos do Homem-Aranha, Todd McFarlane, para lucrar com figuras detalhadas e de alta qualidade de acabamento (e caríssimas) do seu personagem de quadrinhos de terror, SPAWN (um guarda ou policial falecido que faz acordo com o diabo, e volta à terra para vingar-se) , junto ao bonequinho, digo, ao ACTION TOY, vinha uma linha de acessórios, lanças, armas, correntes, cavalos, e mirabolantes co-adjuvantes às centenas, formando linhas infinitas de colecionáveis para um público cativo tentar a catarse de suas neuroses e obsessões de retenção na fase anal (Freud explica) os LOOSERS yankes que vivem por projetar-se nos ídolos com os quais identificam-se.

O sucesso frente a adolescentes imaturos (nerds ou CDFs) e adultos sem hobbies criativos levou a MCFARLANE TOYS a expandir-se para bonecos de filmes de terror como os do diretor CULT Sam Raimi, e outros, indo para vampiros, monstros e tudo o que atraia uma mente adolescente impressionável de WASP (White, Anglo-Saxon, Protestant) e de adultos imaturos YUPPIES comprando de tudo para TER algo material que supra por um momento sua frustração de nunca SER, intermináveis buscas solitárias em infinitas noites vazias de sábados e passeios a esmo em Shopping Centres, o “AMERICAN WAY OF LIFE”.

Passam a surgir empresas concorrentes, e um novo estilo de bonequinhos surge, parecendo peças de decoração ou “OBRAS DE ARTE”.

Esportistas e Bandas de Rock ou Bandas musicais do modismo passam a ser retratados em bonequinhos avidamente disputados pelos carentes fans e as histéricas “macacas de auditório”, carentes “groupies” que agora requisitam o status de “colecionadoras de peças numeradas, obras de arte”, desculpa difícil de usar com as antigas bonecas BARBIE (o que não impede colecionadores e colecionadoras de viverem com centenas destas bonecas BARBIE em coleções).

No Brasil, a empresa GULLIVER começou a distribuir estes brinquedos MCFARLANE TOYS, e em 2002 a LA REVISTERIA Argentina obteve contrato de exclusividade para distribuir MCFARLANE TOYS na América Latina toda.

Eu venho observando com curiosidade o crescimento vertiginoso deste mercado, tanto pelo movimento social, como por ser reflexo de imagens geradas pela Mídia (Esportistas, Cantores e Atores que aparecem na Televisão, Jornais e Revistas, além dos personagens de Quadrinhos e de Cinema como X-MEN, Spider-Man, Hulk e outros que surgem na História em Quadrinhos, tornam-se Desenho Animado na Televisão e depois Filme no Cinema).

Igualmente chamou-me a atenção a extrema minúcia e qualidade dos detalhes, o realismo dos bonequinhos, seu preço exorbitante e elitista, o alegado fato de alguns serem tiragens numeradas, e serem tratados com status de obras de arte pelos carinhosos e zelosos colecionadores!

Logicamente, a repressão sexual, solidão e frustração acumuladas anos a fio só podiam ter por conseqüência um novo tipo de BARBIE, com assumidos objetivos masturbatórios e a primeira boneca de uma ATRIZ PORNÔ de filmes de sexo explícito foi JENNA JAMESON, uma ACTION FIGURE articulada, faz qualquer posição ou movimento, tem 20 centímetros de altura, seios com mamilos eretos e tem o púbis depilado como a atriz da qual é réplica, inclusive tem lábios vaginais e a boca aberta como que convidando a um “Fellatio” (felação, sexo oral, chupeta ou boquete), o preço era de 25 dólares, mas a CÓPIA ASSINADA E NUMERADA custa CEM DÓLARES, a boneca-action figure pornográfica

Tem SEIS modelos ou versões diferentes, vendida em 2003 pela www.videoage.com, empresa que promete fazer uma linha com todas as outras atrizes de sucesso.

Algumas destas atrizes de filmes pornô até já se prestaram a ter as nádegas e a vulva cobertas com gesso e o molde usado para industrializar em série quadris com os genitais e o ânus detalhadamente visíveis e com relevo, modeladas em um elástico plástico emborrachado e vendidos em sex-shops como sex-toy, para seus admiradores , um tipo de METONÍMIA, um pedaço delas, um simulacro cuja caixa tem a foto do rosto delas para o solitário fã masturbar-se penetrando a borracha fria e imaginando a atriz... Isto é o “AMERICAN WAY OF LIFE”... Tal qual o “alimento nutritivo” goma de mascar (chicletes)... Outras atrizes deixaram o mesmo ser feito com suas faces e cabeças, um tipo de busto ou escultura com boca aberta e dentes de borracha macia, língua e garganta, para o admirador simular sexo oral segurando uma cabeça sem corpo...(para minha sensibilidade de homem heterossexual nascido no Século XX, visualizar este gesto parece algo inominável, entre grotesco e necrófilo ou deprimente, não consigo encontrar as palavras exatas para este comportamento... Cada vez fica mais difícil entender o “AMERICAN WAY OF LIFE”... Primeiro, os SERIAL KILLERS, agora isto...)

Destas bonecas JENNA JAMESON aos rostos ou quadris das atrizes moldados diretamente da pele delas, perguntei-me onde iria parar o “AMERICAN WAY OF LIFE”...

Foi quando todo este quadro começou a fazer sentido!

Um e-mail de um correspondente no exterior avisou-me do link para um site que explica tudo, www.realdoll.com.

O Artista Plástico MATT McMULLEN começou a esculpir estátuas femininas em 1994, como manequins realistas e articulados para vitrines de grandes lojas, criando um website para vender as estátuas.

Matt foi surpreendido com centenas de e-mails de homens comuns, não das lojas ou empresas como esperava, e todos com a mesma pergunta : “Dá pra transar com elas?”, “Elas tem vagina e ânus?” “Funcionam como mulheres de verdade na cama?”.

Oras, Matt respondia que o custo unitário de suas esculturas, suas obras de arte era SEIS MIL DÓLARES, não eram bonecas infláveis de sex-shop!

Contudo, para surpresa dele, os homens aceitavam o preço e faziam encomenda, desde que as estátuas tivessem boca aberta com garganta, vagina e ânus penetráveis.

Isto levou Matt e sua esposa a remodelarem os moldes e desenvolverem novos protótipos anatomicamente funcionais para as necessidades do exigente consumidor norte-americano.

Em 2003 o website oferece a mulher dos seus sonhos feita sob medida, a REALDOLL, carne e pele de plástico-silicone emborrachado sintético usado em filmes de Hollywood pelo pessoal dos Efeitos Especiais, tem a mesma textura, elasticidade e pigmentação (com poros) da pele humana feminina, revestindo um resistente esqueleto totalmente articulado de alumínio, pode ser colocada na posição que o “Usuário” desejar para suas atividades de lazer...algo como o filme EXTERMINADOR DO FUTURO (TERMINATOR).

Entrando no website www.realdoll.com o consumidor solitário com cartão de crédito e 6 a 10 mil dólares disponíveis pode encomendar a mulher perfeita: escolhe entre seis tipos de esqueleto com alturas variadas, dez tipos diferentes de formato de crânio, cinco tonalidades de pele, sete tipos de lábios, três tipos de pêlos públicos, diversas perucas de cabelos lisos ou cacheados de loira, ruiva ou morena, negra ou até japonesa, com vibradores internos, lábios vaginais do formato e cor de sua preferência, medidas dos seios, cintura, coxas, etc.. e assim vai construindo, parte por parte, seu FRANKENSTEIN, digo, a mulher que existe em seu inconsciente, perfeita, e em seis meses ela é manufaturada, um original único, obra de arte individual e numerada, entregue num engradado de madeira na sua casa, sua noivinha virgem já com enxoval e prontinha (camisola, vestido de noite com sapato alto, lingerie, e a maquiagem, baton, unhas pintadas da cor escolhida, penteado e cílios são permanentes, não saem na água) .

E se ela é fria ao toque, colocando-a meia hora em sua jacuzzi ou banheira de hidromassagem (se você tem dez mil dólares para gastar numa boneca, lógico que seu banheiro tem hidromassagem!) em temperatura de 40 graus e todo o corpo dela terá temperatura da pele humana, inclusive POR DENTRO ficará MAIS quente, temperatura interna igual a de uma vagina humana, basta colocar o lubrificante e exercitar-se à vontade!!

Matt, o MODERNO GEPETTO, pensou em tudo para tornar mais real sua boneca REALDOLL, um Pinóquio obediente e macio...

Depoimentos de donos satisfeitos explicam que as mulheres de verdade submetem-se a cirurgias plásticas e inserem seios de silicone, já esta mulher TODA de silicone não fala, não trai, nunca pede nada, não se divorcia nem pede pensão, não passa doenças venérias, nunca engravida nem tem TPM, não tem mãe (e você nunca terá SOGRA), não bebe, não cheira a cigarro... e foi feita sob medida para você ! Nenhuma mulher pode competir com ela!

É algo tão inacreditável que somente entrando no site e montando a sua própria boneca passo a passo é que é possível compreender a magnitude do fenômeno social-sexual do “AMERICAN WAY OF LIFE”...

Há opcionais dos mais extravagantes: algumas modelos podem URINAR ativadas por controle remoto, outras tem língua móvel, de um silicone extramacio, e bem lubrificada pode lamber como uma mulher de verdade, com velocidade e pressão dirigidas por controle remoto, entre outros inimagináveis opcionais.

Por um preço MUITO especial, sigilosamente, Matt pode combinar com você e fazer uma realdoll idêntica a uma atriz de cinema, política, esportista, jornalista, empresária ou outra pessoa de destaque da Mídia... ou mesmo –se você enviar muitas fotos digitais e filmá-la com sua web-câmera - pode ser feita uma RÉPLICA EXATA daquela sua COLEGA DE TRABALHO petulante que não te dá bola, vive te desprezando e esnobando e que você sonha em amarrar e sodomizar, ou também fazer uma cópia fiel em mínimos detalhes daquela EX-NAMORADA para você chicotear, tirar fotos em posições vergonhosas e fazer um website vingando-se... Sonhos sem limites, THE AMERICAN DREAM... “AMERICAN WAY OF LIFE”...

Tamanho foi o sucesso das realdoll que há CLUBES de colecionadores que trocam receitas e contam casos, há blogs, diários com toda uma cultura e literatura, poemas, canções, fotos, pinturas das amantes silenciosas, as amantes americanas... Como o website de colecionadores com HARÉNS de realdolls de todo tipo, www.dollalbum.com mostra fotografias dos proprietários jantando com elas, com elas na sala assistindo DVD, dançando com elas à luz de velas, saindo com elas usando óculos escuros dentro do carro... etc.

Alguns depoimentos são impressionantes, donos de várias explicam nos blogs que cada modelo tem um tipo de pressão vaginal, umas mais apertadas, outras mais largas... há até lojas de realdolls usadas para vender e trocar, e o dono de uma loja, Peter, engenheiro bem-sucedido, 43 anos, solteiro, explica que assiste jogos e futebol na tv à noite comendo pipocas com sua realdoll ajoelhada entre as pernas dele enquanto a segura pelos cabelos dirigindo o sexo oral, as bochechas são desenhadas por Matt para criarem um efeito de vácuo suave quando bem lubrificadas com KY, gerando um tipo de eco dos movimentos no mesmo ritmo e intensidade, uma sensação intensa de resposta que os proprietários dizem ser muito similar ao de uma mulher de verdade, como se respondesse ou tivesse vida própria, um simulacro, que é mais intenso na vagina, uma ilusão sensorial similar ao POMPOARISMO!

Os colecionadores tem até clubes de SWING, trocas de casais, onde podem experimentar por alguns dias a realdoll de outro colecionador; fazem festas (surubas?) com as bonecas, e todo tipo de variação/perversão feita com humanas é praticado com as bonecas.

Alguns destes clubes afirmam ter MAIS DE MIL realdolls diferentes cadastradas, isto sem contar as particulares privativas de donos ciumentos, e cada uma delas TEM NOME, os donos as batizam e tratam como pessoas, falam delas como namoradas-esposas, como se atribuindo-lhes personalidades..brinquedos delirantes.

Há um colecionador mais idoso que registrou em seu testamento que quer ser enterrado com a mulher que o fez mais feliz, sua Realdoll ! Tudo isto e coisa muito pior pode ser encontrado na Internet no bulletin board DOLL FORUM.; como Jim Crompton, de 50 anos, deprimido após o longo tempo em hospitais até sua esposa falecer de câncer,sem disposição para noitadas ou para procurar nova companheira, encomendou a boneca de seus sonhos e agora orgulha-se de que pela primeira vez fez sexo anal com a companheira, uma companheira Realdoll.

Alguns dizem que as Realdoll com seios grandes (a maioria dos modelos) permitem uma ESPANHOLA, colocar-se o membro viril entre ambos os seios apertados e lubrificados para fazer os movimentos de fricção vai-e-vem , e afirmam que a sensação é igual a de fazer uma ESPANHOLA em uma mulher que tenha seios com implantes de silicone...como a tecnologia vai permitindo Realdolls cada vez mais parecidas com mulheres de carne verdadeiras, e como as mulheres cada vez mais submetem-se a cirurgias e implantes, lipoesculturas, botox e artifícios mil, em alguns anos as mulheres de verdade estarão tão artificiais, e as Bonecas Realdoll tão naturais como simulação do real, que todas ficarão parecidas, dizem alguns colecionadores em tom de provocação para as feministas.

Ambrósia Vynne escreveu, produziu e dirigiu o filme “REALDOLL THE MOVIE”, estrelando Rom Jeremy, Shayla LaVeux, Shanna McCullough e uma Realdoll feita especialmente para o filme, um sucesso de bilheterias já em VHS e DVD, obre um rapaz tímido que mostra passo a passo como ele escolhe partes de corpos de cada mulher que admira e encomenda sua realdoll, retratando seu relacionamento doméstico com ela, desde que chega, como vão se conhecendo, até o amor crescer e ambos ficarem apaixonados; este filme pode ser adquirido em www.amrosiavynne.com ou www.realdoll.com.

Mas há também CASAIS nesta sub-cultura (ou cultura, sem ofender nossos amigos realdólatras ) Jerry e Adriana de Saint Louis, Missouri, ambos usam a realdoll juntos nos seus jogos sexuais, como se fosse uma terceira pessoa, um tipo de escrava ou brinquedo, ambos podem inserir ou fazer de tudo nela, uma sex toy para dois quebrando a monotonia da vida sexual do casal.

... imagino que é melhor isto do que os casais norte-americanos ricos terem uma criança mexicana imigrante ilegal como escrava sexual ...

O Doutor Randy Getchell, terapeuta sexual, RECOMENDA o uso clínico como REMÉDIO de realdolls para homens aprenderem a controlar a ejaculação precoce sem ansiedades...

Há nos websites argumentos que refutam críticas de movimentos feministas contra as realdolls por serem OBJETOS SEXUAIS que reduzem a imagem feminina a de uma coisa inanimada; o Doutor Getchell mesmo explica que algumas mulheres encalhadas não conseguem aceitar a idéia de que os homens podem ter alguma coisa disponível sempre para obter satisfação de suas necessidades.

Freud diria : Inveja do Pênis?

Peter, de Seattle, Washington, explica que se pegasse em flagrante sua namorada masturbando-se com os comuns consolos-dildos, pênis de borracha-vibradores, ele e a maioria dos homens acharia estimulante e a encorajaria a continuar, assistindo, mas se uma namorada surpreende seu namorado masturbando-se com uma realdoll, ela fica histérica e arma um escândalo, xingando-o de tarado e pervertido, Peter questiona: Qual a diferença de um vibrador e de uma Realdoll?

De certa forma, a sexualidade feminina é mais táctil, a sensação do cilindro vibrando pode espalhar ondas pela água e gordura de todo o quadril e nádegas, ressonando, ativando a raiz do clitóris, o ponto G.

Ao contrário, os homens são mais visuais, a aparência sempre perfeita da Realdoll deve ser estimulante... começo a compreender um pouco mais este fenômeno...acho...mas o contexto de solidão e desesperança, de desencontro da cidade grande ainda foge-me na complexidade de tantas possíveis variedades...é um fenômeno maior do que eu imaginava, e intuo ser sintoma de algo muito maior...

Uma RealDoll de dez mil dólares pode ser encontrada por dois mil dólares nas lojas de usadas.

E SLADE FIERO foi o primeiro Reparador de Realdoll dos USA, hoje tem a melhor reputação no ramo de reparadores de realdoll e seu serviço é bem recomendado entre os clubes de colecionadores, www.realdollrepair.com é o website, um braço ou perna quebrado, um olho que saltou fora, um corte ou queimadura da pele (por brincadeiras com velas acesas ou ferros de passar roupa, ou outra brincadeira sadia típica do homem americano) podem ser consertados.

Já o sucesso crescente gerou concorrentes para incomodar Matt McMullen, a maior é N/C DIMENSIONING INC. da Califórnia, com a “SUPERBABE”, outra boneca sexual similar à RealDoll, embora os colecionadores as considerem menos detalhadas, sem a delicadeza do design artística da RealDoll, as Superbabe são preferidas pelos homens mais brutos e violentos, pois a pele e o esqueleto são mais resistentes a maus-tratos como chicotadas, socos, porretadas, quedas, torções, queimaduras com cera de vela quente e outras diversões sexuais do homem americano deste início do Século XXI.

Na Europa há outro concorrente, a FIRST ANDROID, de Neumarkt, Alemanha, lançou no mercado sua ANDY2000 como a primeira andróide antropomórfica sexual, mas colecionadores dizem que não há diferenças de uma Realdoll de luxo com todos os opcionais (vibradores, etc).

No Japão a PANDRA CORPORATION , de Urawa, produz bonecas de variados biótipos de mulheres asiáticas, a mais vendida é um tipo mignon nipônica, a famosa KUMIKO, que custa 380.000 yenes (cerca de três mil dólares), diferente dos concorrentes, as garotas japinhas PANDRA tem uma camada macia de silicone recobrindo outra camada de um plástico similar ao estofamento de bancos de carros como carne, sobre um esqueleto mais leve do que as européias e norte-americanas (estas cujo peso seria parecido com o de uma mulher de verdade) e além da diferença tecnológica, as bonecas japonesas não tem orifício anal, restringem-se a sexo vaginal e oral, com a inovação de uma vagina destacável, mais fácil para lavar -anunciam- e o nobre consumidor pode adquirir uma variedade de tipos de vaginas: depiladas, peludas, com grandes lábios cheios, com diversos tipos, formatos e cores de pequenos lábios; certamente um diferencial de mercado que as concorrentes não apresentam.

Mas a Realdoll não fica para traz, e lança antes dos concorrentes o MODELO TRAVESTI, além de tudo que pode ter como opcional, no esbelto e delicado corpinho feminino ainda pode-se ter PÊNIS E TESTÍCULOS entre as pernas, para os senhores de gostos especiais que apreciam ser penetrados...e também um pioneiro MODELO MASCULINO, com corpo musculoso que tanto pode agradar o público consumidor homossexual/gay como a exigente consumidora feminina.

Fenômeno vai crescendo e desdobrando-se, as Bonecas para Adultos que começam com o FALCON e BARBIE chegam a esta complexidade toda.

Tudo toma a magnitude de um fenômeno internacional das cidades grandes...da crise de identidade e dos papéis sexuais e sociais, da intolerância nos relacionamentos...da tristeza e solidão humana, que prefere um manequim de loja do que abrir-se emocionalmente e compartilhar com uma companheira.

Posso estar simplificando muito, mas sinto tudo isto como uma grande tristeza e decepção, chego a ter pena da sociedade que gera este fenômeno internacional, talvez tenhamos errado em algum lugar, e esta GLOBALIZAÇÃO –AMERICANIZAÇÃO competitiva e desumana tenha um custo muito alto...mais do que poderemos pagar nas próximas gerações.... comprando de tudo para TER algo material que supra por um momento sua frustração de nunca SER, comprando uma companheira para TER, POSSUIR como uma coisa, fugindo de SER amado e retribuir carinho, de SER envolvido, de Comunicar-se, de compartilhar..de SER HUMANO...THE AMERICAN DREAM... “AMERICAN WAY OF LIFE”.










http://www.ligazine.com.br/colunas/cl_calazanismo/calazans_16.htm

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DOUTOR ESTRANHO na coleção de historias em quadrinhos de Flávio Calazans