Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

Blake e a Religião da Arte

William Blake é um artista que hoje nós chamaríamos de multimídia. Versátil e eclético, tal qual Leonardo Da Vinci, Göethe e outros, Blake não se deixava restringir por preconceitos estéticos.
Blake nasceu em 28 de novembro de 1757 em Londres, expressou suas idéias por desenhos, pinturas, gravuras, poesias, prosa, etc; mesclando a produção simbólica do cérebro esquerdo com as imagens do cérebro direito.

Seu profundo conhecimento esotérico ajudou-o a compreender e expressar sua intuição mística com uma obra híbrida de imagens, palavras e cores que transmitem bem suas visões.
Aos 12 anos escreveu o livro "Esboços Poéticos".Lia clássicos ocultistas como Paracelso, Jakob Boheme, Swedenborg, Gnósticos, Filosofia, Literatura, etc...

Blake revolucionou as técnicas de gravura com um método à base de cera e ácido em placas de bronze, coloridas à mão com aquarela.
Em 1782 casou-se com Catherine Boucher, filha de um jardineiro e analfabeta. Ele a ensinou a ler, escrever e pintar, e ela pass…

Bartolomeu de Gusmão o Padre Voador

A Aeronáutica Pré-Colombiana: Dos Incas Voadores de Nazca ao Padre Voador de Santos.
Desde pequeno tenho ouvido muitas histórias da minha cidade de Santos, litoral de São Paulo, Brasil; uma destas histórias sempre me chamou muito a atenção, é a do meu conterrâneo também nascido aqui em Santos, em 1685, o padre jesuíta Bartolomeu de Gusmão.

Os padres jesuítas tem um "ano sabático", quando viajam para outros países por um ano, para conhecer outros costumes, culturas diferentes, ampliando a visão de mundo; Em 1705, o padre Bartolomeu Lourenço de Gusmão foi a Bolívia, onde os espanhóis escravizavam os indígenas ( os jesuítas eram contra a escravidão dos índios, teologicamente, descendentes do bíblico filho de Noé ,Sem, somente os descendentes de Cam, Camitas, negros,deveriam servir.), lá, segundo lendas orais, Bartolomeu teria ajudado um índio a fugir do cativeiro e este o teria levado a uma cidade de pedra na cordilheira dos Andes.

Os espanhóis ficavam surpresos com os templos in…

Austin Osman SPARE - o artista ocultista expulso por Crowley

Quando começamos a estudar a vida dos artistas plásticos que pintam as obras cuja beleza nos seduz, percebemos que muitos deles eram ligados ao misticismo.

Talvez isto tenha a ver com a História da Arte, pois desde a Pré-História que os artistas fazem pinturas nas cavernas para se representar deuses da natureza, como a arte sacra que nos ajudou a visualizar a Via Sacra, os vitrais e santos das catedrais Góticas e o rosto dos santos católicos preferidos dos devotos (São Cristóvão dos motoristas, Santo Antônio casamenteiro, etc).

As emoções estéticas devem mesmo ser algo próximo do prazer de um êxtase místico ou religioso.

No Brasil, Gasparetto pintando nos estilos de diversos artistas antigos falecidos, na Inglaterra do século XIX, William Blake, poeta e pintor, usa a arte para expandir sua percepção e consciência.

No transe místico perde-se a noção de tempo e muda a percepção da realidade.Ora, ao exercitar o desenho com o lado direito do cérebro, acontecem os mesmos fenômenos, como pode c…

A Bomba atomica foi o Suicídio do Ocidente

Os USA desenvolveram um projeto de energia nuclear com objetivos militares: construir bombas atômicas como arma de guerra, no que os empreendedores WASP (White, Anglo-Saxan Protestant) foram muitíssimo bem sucedidos, como prova temos as cidades de Hiroshima (6 de agosto de 1945) e Nagasaki.

O Projeto Manhattan levou a cabo a explosão da primeira Bomba Atômica-Inaugurando a Era da Energia Nuclear, no deserto de Alamagordo, Novo México, em 16 de julho de 1945.

Todo o princípio norteador da Era Atômica sempre foi suicida desde a origem, cume das pirotecnologias, tecnologias do fogo, um desejo de morte e de holocausto nuclear estava no subconsciente dos ocidentais igual ao dos pilotos kamikazi japoneses.

A questão que dividia os físicos era esta: a explosão atômica nunca fora feita antes, e não se sabia bem o que poderia acontecer como consequência da detonação, era o primeiro teste do primeiro protótipo, e em 16 de julho de 1945 poderia, teoricamente, ser desencadeada uma reação em cadei…

Cinemade Autor - parte um

"Nossa geração tem consciência, queremos fazer filmes
anti-industriais, queremos fazer filmes de autor,
quando o cineasta passa a ser um artista comprometido
com os grandes problemas do seu tempo."
Glauber Rocha

Hollywood é a rede da indústria cinematográfica norte-americana, fábrica de filmes em linha de montagem, comerciais que querem vender ingressos e agradar o público; anestesiar e alinhar politicamente é sua razão de ser e função.

O sistema não é perfeito, por isso surge um diretor importado da Europa como Paul Verhoeven, cuja mensagem pessoal é o reencontro consigo mesmo, a reconquista da humanidade perdida e corrompida pelo mundo violento. Esta é a mensagem e argumento de um Robocop ou Show Girls, mesmo que restrita à última fala da cena final, quando Murph fala seu nome próprio ou a dançarina volta à estrada, dando as costas ao pseudo-sucesso.

Ao contrário dos EUA, na Europa, Japão e América Latina surge o cinema de arte ou cinema de autor.

Cinema de autor é um tipo de …

O HOMEM AQUÁTICO

Em toda a Terra ( este planeta azul que é dois terços submerso nas águas) encontram-se os Povos do Mar, nações visceralmente ligadas aos oceanos,; desde os mercadores Fenícios que fundaram Lisboa até Portugal, em cuja Lusofonia escrevo e você lê, como dizia o Poeta Fernando Pessoa : "Minha Pátria é a língua portuguesa".

Não me recordo de ter aprendido a nadar, nascí em Santos, ao lado de são Vicente, primeira vila portuguesa do Brasil, e dizem que aprendí a nadar sozinho, engatinhando na areia da praia até as ondas erguerem-me, antes mesmo de aprender a nadar; isto é comum nas cidades do litoral, e hoje pratico mergulho livre ( apinéia) e estou sempre nadando nas águas do Atlântico.

Os biólogos costumam dizer que a vida neste planeta começou no mar, evoluiu para anfíbios, répteis e mamíferos terrestres; porém, alguns destes mamíferos voltaram à mãe-mar e adaptaram seus corpos às águas salgadas, como leões-marinhos, focas, baleias e golfinhos ( mamíferos aquáticos).

Sempre perg…

Traduzindo os Golfinhos

Formado em Medicina, o neurologista John Lilly trabalhava no Instituto Nacional de Saúde Mental , perto de Washington, durante a Guerra Fria; em 1954 temia-se muito as técnicas de lavagem cerebral russas e coreanas, e Lilly fez de sí próprio cobaia humana em uma experiência de "privação sensorial".

Mergulhado nú em água a 34 graus celsius, sem sentir calor nem frio que distraiam, boiando em um tanque escuro, sem som nem luz, flutuou livre de gravidade por muitas e muitas horas ( esta experiência dele está registrada no filme "Alterated States", no Brasil "Viagens Alucinantes"), as versões posteriores deste aparelho foram batixadas como "tanque de privação sensorial" , mas Lilly discordou do nome, para ele, ao invés de privação, houve mas é um novo tipo de sensações resultantes do cessar estimulação externa, o cérebro parecia ter buscado informação interior.

Lilly relata ter tido transes místicos, visões e até mesmo viagens astrais-saindo do corpo …

Os Direitos dos outros- parte Um

1 - introdução




Do mesmo modo que só podemos nos autoconhecer através de comparações com os outros, somente podemos conhecer verdadeira e profundamente a essência de nossa sociedade e nosso direito por analogia com outras formas de cultura.


A antropologia cultural prova que a filosofia grega foi plagiada e distorcida pelos romanos, e que a ética grega gerou muito do direito romano - que, com deturpações, originou (com algumas instituições germânicas, como o júri dos pares) o decadente direito ibérico e o que chamamos "direito brasileiro" (ficção jurídica e realidade processual).


Outros povos, como ingleses e norte-americanos, criaram um direito consuetudinário (modelo cíclico que torna obsoleto o piramidal).




2 - talmud




O Talmud (em hebraico, estado) é um composto onde não há a divisão entre literatura, filosofia, teologia e direito.


Este sistema muito influenciou Portugal e Brasil, pois até os dias da semana, aos quais outros povos dão nomes de deuses, chamamos como os israel…

BRENNAND

UMA POÉTICA TRIDIMENSIONAL DE FOGO, AR, TERRA E ÁGUA.

“Eu não me envergonho de ter fabricado meus próprios brinquedos.”
Brennand apud Jacob Kintowitz, página 34.

Em Pernambuco, minha namorada insistiu em levar-me para conhecer uma fazenda na periferia de Recife, a “Propriedade São Cosme e Damião”, cerca de uns 20 quilômetros do centro da cidade; Lá fica o atelier do ceramista internacionalmente reconhecido Francisco Brennand.

Na verdade, eu já tinha vislumbrado a obra do artista contemporâneo Brennand, como todos os que desembarcam pelo aeroporto de Guararapes, pois lá é impossível não ver o enorme mural de Brennand; vi outro mural dele na Rua Nova, centro de Recife, um exemplo de muralismo, retratando as duas batalhas de Guararapes, quando expulsamos meus loiros ancestrais holandeses; de quem herdei a memória genética dos olhos claros, misturados aos loiros italianos de Turim no porto de Santos, em São Paulo.

Porém, estes murais não podem ser comparados à experiência estética e espir…

Como lidar com a Mídia ?

A mídia , como a etimologia do termo já demonstra, são os meios de comunicação ( como Jornal, Revista- Mídia Impressa, e Rádio, Televisão e Internet- Mídia Eletrônica) que informam a sociedade civil, formam a “opinião pública” do contribuinte-eleitor-consumidor.




Quase a maioria dos pensamentos e sentimentos sobre o mundo é resultado de informação mediada, trazida pela mídia; pressão sobre governantes em greves de professores –pesquisadores, aclamação por descobertas, fama e notoriedade, sucesso e reconhecimento, verbas, etc...tudo isto no mundo de hoje depende de ter saído na mídia, é como uma apresentação que abre portas e facilita tudo, pois as pessoas sentem-se familiarizadas com o rosto ou assunto que já leram no jornal ou revista que respeitam ou na tv que gostam, dá credibilidade –pensam que só os maiores expoentes da área e bons no assunto aparecem na mídia, gente importante e prestigiada– estar na mídia representa ser ouvido naquele tema, ser “celebridade”.




A mídia também docum…

NECRONOMICON o livro proibido

Imagem
NECRONOMICON : O livro proibido da Biblioteca de Buenos Aires, Argentina.

Flávio Calazans | 15/12/2005

“Uma das maiores bênçãos do mundo, creio eu, é a incapacidade da mente humana em correlacionar todos os seus conhecimentos.”

― H. P. Lovecraft Howard Phillips Lovecraft foi um escritor e bibliófilo, apaixonado por livros e bibliotecas , colecionador de livros, e em sua ficção criou um mito cuja força simbólica perdura até hoje em seus livros, nas adaptaçõespaa cinema e televisão ou histórias em quadrinhos (adaptado na França por Druillet da revista Metal Hurlant), e até em RPG (Role Play Games) e vídeo-games, além de incontáveis websites pela internet.


O mito Lovecraftiano de um livro mágico proibido, o NECRONOMICON, em cujas páginas residem segredos e conhecimentos que prometem poderes inconcebíveis em escala cósmica, seduzindo o seu leitor com o poder de um dos Deuses sobre os quais lemos nas mitologias sumeriana, egípcia, grega, romana, nas sagas nórdicas e em todas as religiõe…

Rasputin artista escultor

Imagem
Rasputin, ao centro, rodeado por várias mulheres... Rasputin é um nome ligado a poderes paranormais, misticismo e mistérios, mas sua vida é muito mais interessante do que isto, um escultor de imagens religiosas e dançarino incansável.
Grigori Efimovtiz Novy, Rasputin, ou GRICHA, como era chamado pelos amigos, nasceu em 1864 em um posto de estrada, um pequeno vilarejo chamado Pokrovskoia na Sibéria, Rússia, na estrada para Tobolsk que leva para o santuário de Werchoturie, filho do cocheiro e guia local que levava os peregrinos ao santuário, Efin Andreievtz e da dona de casa Anna Iegorovna.




A supersticiosa Rússia era um celeiro de seitas religiosas extremistas e radicais, como os "Skoptzy" que se castravam para alcançar a pureza da castidade; os "Bespopovtzy" que não aceitavam autoridades religiosas ou chefes centrais intermediando seu caminho direto com Deus; e os "KLYSTI" ou "KHLYSTYS", liderados pelo monge Makario, que praticavam o conhecer pr…